Entenda a importância de segmentar a rede para mantê-la segura - Blog Athena Security: Tecnologia e segurança para o seu negócio
Entenda a importância de segmentar a rede para mantê-la segura

Se “dividir para conquistar” é uma estratégia de guerra bastante conhecida, o TI pegou o caminho inverso e descobriu que “dividir para defender” é ainda mais eficiente para proteger dispositivos, conter ameaças e promover a segurança de dados. A rede segmentada se tornou uma prática essencial para esse propósito.

Ainda não sabe como ela funciona? Quer entender como a segmentação de rede é uma forma eficiente para minimizar o impacto de invasões e garantir a segurança? Então confira no nosso post!

O que é segmentação de rede?

Provavelmente você já assistiu Titanic ou leu essa história em algum lugar. Talvez se lembre que, em um momento, um dos personagens explica que a embarcação tinha um sistema de comportas — sistema que até hoje é utilizado na indústria náutica.

As comportas funcionam assim: o navio é dividido em diversos compartimentos que, além de separados entre si, são hermeticamente vedados. Isso significa que, se por acaso a água invadir um desses compartimentos, ela ficará retida ali e não se espalhará pela embarcação, causando um naufrágio.

Você deve estar pensando: o que isso tem a ver com TI e a segurança digital? A resposta é: tudo! Hoje, uma das principais práticas para conter a “inundação” de vírus, ransomwares e outras ameaças virtuais usa o mesmo princípio — a segmentação das redes.

O conceito funciona da seguinte maneira: quando uma companhia segmenta sua rede, ela cria uma espécie de compartimentos virtuais. Dessa forma, quando uma máquina é infectada, ela só consegue contaminar outras máquinas do mesmo compartimento, e não de outros.

Com essa limitação, a capacidade de disseminação do malware fica reduzida. Uma quantidade menor de dados é exposta à ação criminosa, minimizando o impacto da infecção.

Como fazer uma segmentação de rede efetiva? Veja abaixo!

Não basta apenas segmentar a rede. É preciso utilizar um firewall e implementar políticas que estabelecem regras para a comunicação entre os dispositivos usados.

Afinal, por mais que a rede esteja segmentada, essa medida não vai ser útil se o computador da recepção puder se comunicar livremente e contaminar o banco de dados de um sistema ERP, que guarda as informações referentes à gestão financeira do negócio ou os dados sensíveis de clientes, por exemplo.

A política de segmentação deve prever que só se comuniquem os dispositivos que necessitam dessa interação para trocar dados referentes à necessidade da empresa. Essa compartimentação precisa primeiro classificar as informações, das mais banais às mais sensíveis, e estabelecer um perímetro que separe esses grupos.

Qual é a importância da segmentação de rede?

Seria perfeito se pudéssemos afirmar que os recursos que o mercado oferece são suficientes para prevenir toda e qualquer invasão. Porém, essa não é a realidade. Mesmo com antivírus e firewalls potentes, ataques cibernéticos de grande escala mostraram recentemente que os sistemas são vulneráveis.

Além disso, com a evolução da Internet das Coisas, cada vez mais recursos estão conectados à internet, o que traz benefícios, mas também gera riscos para os negócios. É preciso adotar modelos de segurança que sejam capazes de garantir a proteção desse novo mundo digital.

Com a aplicação da segmentação de rede, você dificulta o acesso de invasores a informações valiosas e sigilosas da empresa. Em casos em que o ataque cibernético está em andamento, a segmentação pode ser aplicada para oferecer controles mais dinâmicas para conter a invasão, de modo a limitar possíveis danos e ajuda na identificação do ataque por meio da emissão de alertas de acesso indevido.

Quais são os benefícios da rede segmentada?

A segmentação da rede é uma prática que tem conquistado cada vez mais espaço entre as organizações, o que se deve à sua eficiência em se tratando de segurança da informação. Isso porque, a estratégia garante um nível reforçado de proteção para todos os servidores e aplicativos considerados críticos, ou seja, que estão mais vulneráveis a ataques.

É possível isolar os trabalhadores remotos na área necessária da rede, evitando que tenham acesso a informações confidenciais e que possam roubar ou vazá-las posteriormente.

Basicamente, esse método auxilia na simplificação do gerenciamento da rede, compreendendo o monitoramento de eventos, tomada de decisão e respostas rápidas e eficazes diante de incidentes. Sem falar que a estratégia também minimiza o esforço exigido nas auditorias de segurança, já que visa eliminar brechas para invasores.

Quais são os desafios de segmentar a rede na sua empresa?

Embora seja uma prática benéfica, é importante se atentar para alguns desafios que a empresa pode enfrentar ao implantar a segmentação da rede.

Em primeiro lugar, tenha em mente que fornecedores externos e processos organizacionais que necessitam de inúmeros acessos à rede interna podem trazer complexidade para esta prática.

Muitas companhias utilizam as redes VLANs para o processo de segmentação, mas, usuários autorizados para ficar apenas em um segmento podem driblar a restrição e acabarem acessando outros segmentos, ignorando as delimitações, ao usar o endereçamento de IP.

É importante ressaltar que em alguns casos a segmentação pode ser um empecilho para a realização de varreduras de vulnerabilidade de segurança, exigindo mais recursos para a identificação de falhas. Para contornar esse problema, você terá que mover o scanner logicamente ou fisicamente de segmento para segmento se baseando no controle de acessos e as normas de firewall.

Por último, se as empresas não utilizarem controles de segurança de endpoint, como prevenção de intrusos, anti-malware e prevenção de perda de dados para impedir o uso inadequado da rede por pessoas mal-intencionadas dentro de cada segmento, saiba que os riscos vão ser consideráveis.

De modo errôneo, muitas organizações implementam vários níveis de segmentação da sua rede sem levarem consideração ode realmente estão os maiores riscos, o que faz com que muitas falhas possam ocorrer.

Se você não compreende totalmente quais são os pontos que necessitam de atenção especial, consequentemente, a prática perde toda a sua eficiência.

Da mesma forma que existem bons profissionais desenvolvendo mecanismos para a segurança das redes, há uma série de criminosos criando ameaças cada vez mais perigosas.

Portanto, além de proteger a rede com firewalls e outros mecanismos, é importante recorrer a alternativas para minimizar danos, caso uma invasão de fato aconteça. A rede segmentada é uma dessas possibilidades, pois evita que a ameaça atinja um grande número de máquinas, restringindo seu alcance.

E aí, já conhecia a segmentação de rede como uma opção para reduzir o impacto de infecções e proteger os dados e dispositivos de uma companhia? Quer adotar essa prática do jeito certo? Entre em contato com a Athena Security agora mesmo e descubra como podemos ajudar você nesse processo!

Thiago Cabral

Bacharel em administração e pós-graduado em Gestão e Governança de TI pela FIAP. Com cerca de 10 anos de experiência no mercado de segurança da informação, ajudou a fundar a empresa Athena Security, onde atua como Sócio-Diretor responsável pelas estratégias de Marketing e pela qualidade de atendimento ao cliente. Acredita que a chave para o sucesso é a especialização, atendimento consultivo e visão inovadora.

Powered by Rock Convert

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This