Conheça 8 dicas para otimizar a performance da rede corporativa - Blog Athena Security: Tecnologia e segurança para o seu negócio
Conheça 8 dicas para otimizar a performance da rede corporativa

A dependência da tecnologia é cada vez maior nas empresas e para se beneficiar de tudo o que a transformação digital é capaz de proporcionar é preciso buscar melhorias constantemente. Estar atento à performance da rede corporativa é um dos fatores que auxiliam no desempenho da empresa.

Então, como otimizar os resultados da rede interna da companhia? Nas próximas linhas nós falaremos sobre os principais erros que levam a um desempenho ruim da rede corporativa e dicas para otimizar a sua performance. Tome nota e mãos à obra!

Erros na gestão da rede corporativa

Alguns fatores podem influenciar diretamente na velocidade de uma rede, alguns itens podem trazer lentidão e aumentar o tempo de resposta. Esses problemas atingem os colaboradores que podem ter sua produtividade diminuída.

Entre os erros mais comuns estão:

  • data center externo — ao utilizar-se de consultas a bancos de dados externos, a lentidão pode ser causada por configurações do próprio data center;
  • rede interna — uma má configuração da rede interna e dos pontos de acesso e distribuição podem levar também a uma lentidão;
  • rede sem fio — interferências de sinal, por instalações mal planejadas dos pontos de distribuição do sinal são uma causa comum de mau funcionamento;
  • link de dados contratados — o problema pode muitas vezes ser alheio a empresa e ocorrer por responsabilidade do fornecedor do link de rede. Ao identificar tal situação, deve-se abrir um chamado junto ao provedor;
  • rede privada VPN — utilizada para ligação segura entre dois pontos, como filiais. Ela pode ser mal configurada e ocorrer lentidão e dificuldades de acesso.

Dicas de otimização

Assim como vários erros podem ser cometidos ao implantar e configurar redes corporativas, é possível realizar uma série de medidas com o intuito de evitar falhas e indisponibilidade de serviços.

1. Faça atualizações constantes

É necessário estar atento a todas as novas tecnologias lançadas no mercado com o objetivo de substituir as velhas plataformas de rede da empresa por soluções mais modernas e seguras.

Realizar a atualização constante dos itens de rede, tanto software como hardware, é um investimento em produtividade. Isso também garante a disponibilidade dos serviços e otimização do tempo dos colaboradores, que poderão realizar suas tarefas de maneira mais rápida.

2. Realize testes

Uma das maneiras mais simples de observar quais são os gargalos encontrados em uma rede corporativa é por meio da realização periódica de testes de desempenho.

Dessa maneira, pode-se verificar os pontos fortes e fracos da infraestrutura de rede da empresa e trabalhar em planos de ação para cobrir as vulnerabilidades e pontos negativos.

3. Monitore indicadores

Monitorar o desempenho da rede é outro ponto importante para o gestor, que deve ficar atento a qualquer alteração nos indicadores escolhidos para essa tarefa. Entre eles podem estar a latência de rede, carga sobre servidores, tempo de resposta da rede, entre outros.

Acompanhar e interpretar os dados coletados desses indicadores poderá resultar em um diagnóstico geral sobre a atual situação da rede corporativa e quais as atitudes a serem tomadas para evitar as tão temidas lentidões.

4. Controle o tempo de resposta

Mesmo adotando uma política de uso bastante rigorosa e clara, por melhor que tenham sido feitas as configurações e a integração dos equipamentos, problemas como defeito mecânico ou utilização indevida da rede podem deixá-la mais lenta.

Por isso, é importante controlar o tempo de resposta da rede. Utilize metodologias de gestão de rede e softwares de monitoramento eficientes para estudar continuamente a performance das soluções de hardware e software da rede corporativa. Com isso, a otimização desse recurso passa a ser um processo mais proativo, visto que detecta problemas de maneira antecipada, evitando prejuízos maiores.

5. Faça a configuração correta de todos os dispositivos

Sem dúvida, esse é um dos principais gargalos das redes corporativas. Muitas vezes, a empresa investe em equipamentos de última geração, mas acaba configurando de forma incorreta, o que faz com que o seu aproveitamento não seja total e também dificulta o alcance do Retorno sobre Investimento (ROI).

Em primeiro lugar, é recomendável entender quais são as necessidades de uso dos usuários e dos seus respectivos setores de atuação. A partir da compreensão de quais são os requisitos de operação, você pode configurar todos os dispositivos de TI para melhorar o desempenho da rede em todos os aspectos.

6. Segmente os recursos de rede

Dentro de uma empresa é bem comum que alguns departamentos, sistemas e máquinas exijam mais recursos — como capacidade de armazenamento, tráfego e processos — do que os demais, em decorrência dos tipos de atividades que realizar na rotina da empresa.

Portanto, é fundamental verificar quais são as necessidades de uso de cada área da companhia, levando em consideração a qualidade de processos executados, sistemas e máquinas. Depois, segmente a utilização da rede, determinando uma estratégia apropriada de priorização de tráfego.

Assim, a companhia impede a ocorrência de desperdícios e ociosidade, de modo atingir maior ganho de performance.

7. Aumente a capacidade de armazenamento

Aumentar a capacidade de armazenamento é importante, mas não é o suficiente para que a rede trabalhe com maior velocidade. Isso dependerá de quantas OIPS (operações de entrada e saída por segundo) o disco rígido em questão consegue suportar.

Sendo assim, é imprescindível definir qual é a real necessidade apresentada pela empresa. Para isso responda as seguintes perguntas: é preciso somente concentrar ou processar os dados? Qual é o volume desses dados? Por quanto tempo eles devem ser armazenados? Com base nessas informações, há mais facilidade para traçar uma nova estratégia de armazenamento como, por exemplo, migrar o servidor para a nuvem.

8. Considere desduplicar

A desduplicação de dados é uma opção a ser pensada para otimizar o tráfego de dados durante o uso da rede. Sem falar que, o emprego dessa técnica economiza entre 10 a 30 vezes o espaço utilizado pelo backup.

Geralmente, essa prática é mais indicada para operações redundantes, pois segmenta o fluxo de dados de entrada, direcionando um identificador para os segmentos de dados e comparando com os dados armazenados. Isso quer dizer que, quando é exclusivo, o sistema deve armazenar o segmento, se não, ele aponta como duplicação e o segmento deixa de ser armazenado.

Gerir uma rede corporativa requer conhecimento, atenção e proatividade na administração dos dispositivos e softwares. Diante de um mercado empresarial altamente dinâmico e competitivo, contar com uma infraestrutura atualizada e funcional é indispensável para o sucesso das atividades do negócio.

Gostou do post? Tem alguma dúvida ou sugestão de dica? Deixe um comentário compartilhando a sua opinião conosco!

 

Thiago Cabral

Bacharel em administração e pós-graduado em Gestão e Governança de TI pela FIAP. Com cerca de 10 anos de experiência no mercado de segurança da informação, ajudou a fundar a empresa Athena Security, onde atua como Sócio-Diretor responsável pelas estratégias de Marketing e pela qualidade de atendimento ao cliente. Acredita que a chave para o sucesso é a especialização, atendimento consultivo e visão inovadora.

 

Powered by Rock Convert

COMENTÁRIOS

Comments (4)

  1. Olá a todos, essa é minha primeira vez no web site ,
    e estou impressionado com o post , que é de verdade
    muito produtivo não só para mim, mas para todos que
    se interessam pelo assunto .

  2. adorei o método que você usa para escrever
    seus posts . Fico bem simples de compreender . Abraços

  3. como posso ter um contato direto com o autor deste blog ?

  4. Todo mundo os dias escuto amigas reclamando disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This